Pesquisas

O MAX tem desenvolvido intensas atividades de pesquisas, tanto em campo, como em seus laboratórios e reserva técnica. São vários os pesquisadores envolvidos nestas atividades: professores da Universidade Federal de Sergipe, alunos de pós-graduação da UFS e de outros estados brasileiros e também pesquisadores estrangeiros.

Atualmente estão sendo desenvolvidos atividades do projeto 'Do Sertão para o Mar: A Fluidez de Pessoas, Ideias e Estilos Tecnológicos na História das Populações Ceramistas do Baixo São Francisco (AL-SE)', coordenado pelos Professores Fernando Ozorio de Almeida e Daniela Klökler, ambos do Departamento e da Pós-graduação em Arqueologia da UFS. Estão sendo realizadas escavações arqueológicas na Fazenda Mundo Novo e analises de artefatos arqueológicos existentes na reserva técnica do MAX (ver fotos na galeria). Uma equipe multidiciplinar foi formada para realizar esta etapa do referido projeto de pesquisa, com a participação de alunos da graduação e pós-graduação em Arqueologia da UFS e da California State University.

Além das citadas atividades também ocorreram no auditório do MAX, defesas de dissertações de mestrado e exames de qualificações de alunos da Pós-graduação em Arqueologia da UFS.

1 - Exame de Qualificação intitulado “ OCUPAÇÕES CERAMISTAS NA CACHOEIRA CALDEIRÃO: IDENTIDADE, ESTILO TECNOLÓGICO E INTERAÇÃO NO MÉDIO ARAGUARI, AMAPÁ”, da  mestranda CAROLINA DE SOUSA SANTOS.

2 - Exame de Qualificação intitulado “ A CONTINUIDADE DAS OCUPAÇÕES HUMANAS NO SÍTIO TEOTÔNIO (ALTO RIO MADEIRA)”, do  mestrando THIAGO KATER PINTO.

3 - Exame de Qualificação intitulado “ A TRADIÇÃO POLÍCROMA DA AMAZÔNIA NO CONTEXTO DO MÉDIO SOLIMÕES”, do  mestrando RAFAEL CARDOSO DE ALMEIDA LOPES.

4 - Exame de Qualificação intitulado “ O QUE OCULTAM AS CABAÇAS?: APROXIMAÇÃO AOS USOS E FUNCIONALIDADES DAS CABAÇAS NO DESERTO DO ATACAMA, CHILE”, do  mestrando CRISTIÁN ALEJANDRO OLIVARES ACUÑA.

5 - Defesa de Dissertação de Mestrado intitulada “ ETNOARQUEOLOGIA DA PRATARIA MAPUCHE: GÊNERO, COSMOVISÃO E RESISTÊNCIA”, da  mestranda NÁDIA CARRASCO PAGNOSSI.